segunda-feira, 23 de março de 2009

A que levam as nossas escolhas...

Meu pai "boy", o sorriso da minha mãe e minha irmã gatona (tira o zóio, não cobiça!).

Existem palavras cuja definição existe mas não traduz "muita coisa" pra mim.
Saudade era uma delas. Era conceitual, pois não me afetava de verdade, até que entendi o que significa estar longe de quem realmente se ama. A cada foto dessas me vem aquele maldito misto de emoções: a felicidade, porque ainda existem, e a sensação de um corte profundo que não fecha, porque não os tenho comigo a cada manhã e antes de dormir... Que merda, isso...

(Entre produção e pausas inevitáveis, este texto me tomou mais de meia hora...)

6 comentários:

Felipe Almeida disse...

Show mano... muito lindo, parabéns...

Eu que convivi pouco, já sinto mó saudade, imagino você...

Se precisar, e for de nosso alcance, estamos aqui sempre brother...

Abraço!

Luciana Arruda disse...

Sentir é bom, ainda que faça doer.
Permita-se.
Obrigada por compartilhar (a foto e teus sentimentos)
estamos aqui.

andreafrioli disse...

Oi primo, tudo bem por aí ? Que bom poder rever os tios e a priminha! Aliás, ela está muito linda !!! Também sinto muita saudade deles ... Beijos

Leila disse...

Obrigada por me deixar emocionada e orgulhosa sempre!!!
Te amo!!!

Ayne Regina Gonçalves Salviano disse...

Acho que é por isso que te admiro tanto. Um baita homem deste tamanho que às vezes dá vontade de por no colo. Sim, essa sua sensibilidade é que te faz especial!

Fanfis disse...

Já que eu to melancólica hoje vou deixar minha contribuição: mesmo que o tempo passe não deixe de sentir saudades. A gente tenta se convencer que amenizou o que passou, mas senti-la é trazer a tona todas as boas lembranças e mostrar que não há mal tempo que faça apagar o que de melhor temos. Ame-os muito. Sempre.

Culto&Grosso: Mostre isso aqui p'ra eles!

Culto&Grosso: Mostre isso aqui p'ra eles!